Busca
Português|English
HOME|Mapa do site|Versão Impressão
Foto: Araquém Alcântara
HOME
QUEM SOMOS
UNIDADES CONSERVAÇÃO
MUDANÇAS CLIMÁTICAS
ENERGIA RENOVÁVEL
REMEDIAÇÃO
INVESTIMENTOS IMPACTO
PROJETOS
NOTÍCIAS
FALE CONOSCO
TRABALHE CONOSCO
INSTITUTO EKOS BRASIL
Av. Dr. Chucri Zaidan, 1550, cj. 1208
04711-130 - São Paulo - SP
Tel +55 11 5505-6371
Tel +55 11 3589-1502
INSTITUTO EKOS BRASIL / NOTÍCIAS / COP-21: RENOVÁVEIS GANHAM...
COP-21: Renováveis ganham destaque nos primeiros dias de negociação

 À medida que a Conferência do Clima em Paris avança, mais sinais da inevitável transição dos combustíveis fósseis para as energias revováveis aparecem e fortalecem o “momento de virada” contra o aquecimento global. Seguindo o anúncio da Índia sobre a recém-formada Aliança Solar, as nações africanas se comprometeram a atingir 300 GW de energias renováveis até 2030, o que irá dobrar sua atual geração de energia e torná-la 100% limpa. Conforme o impulso político para alcançar a descarbonização completa das economias é fortalecido e une países ricos e pobres, novos dados mostram que o consumo de carvão no mundo está caindo ainda mais rápido do que o esperado – a queda pode chegar a até 4% este ano. Esta notícia mais o aumento do risco de investir em combustíveis fósseis são bons motivos que fizeram com que bancos como Morgan StanleyWells Fargo e ING, além de outros investidores, anunciassem que vão parar de financiar o carvão. Dessa forma, a soma total desinvestida dos combustíveis fósseis ultrapassou os USD 3,4 trilhões – valor 50 vezes maior do que há um ano. Uma nova pesquisa destaca a necessidade urgente de fortalecer o desinvestimento das fósseis e aponta que caso as usinas de carvão já existentes não sejam descomissionadas as emissões irão ultrapassar em 150% o limite necessário para manter o aumento de temperatura em até 2oC. Além disso, caso novas usinas de carvão que estão planejadas sejam construídas, as emissões podem ficar até 400% acima deste mesmo limite. Dessa forma, a pressão aumenta em cima de países como Turquia, Japão e Austrália, ainda muito dependentes de carvão apesar da ameaça que a fonte representa para a saúde, para as populações e para o clima, assim como em cima dos bancos que ainda seguem financiando projetos de energia suja. Para não ficar em um passado de energia suja enquanto o mundo caminha em direção às energias renováveis, nações e investidores que ainda apostam nos  combustíveis fósseis precisam se afastar destas fontes rapidamente. A transição para um futuro com energia limpa já está acontecendo e os relatórios e anúncios feitos hoje confirmam esta tendência.

 

Leia mais sobre esse assunto em: http://treealerts.org/pt/2015/12/02/cop-21-renovaveis-ganham-destaque-nos-primeiros-dias-de-negociacao/


12/2015

< voltar às notícias