Busca
Português|English
HOME|Mapa do site|Versão Impressão
Foto: Araquém Alcântara
HOME
QUEM SOMOS
UNIDADES CONSERVAÇÃO
MUDANÇAS CLIMÁTICAS
ENERGIA RENOVÁVEL
REMEDIAÇÃO
INVESTIMENTOS IMPACTO
PROJETOS
NOTÍCIAS
FALE CONOSCO
TRABALHE CONOSCO
INSTITUTO EKOS BRASIL
Av. Dr. Chucri Zaidan, 1550, cj. 1208
04711-130 - São Paulo - SP
Tel +55 11 5505-6371
Tel +55 11 3589-1502
INSTITUTO EKOS BRASIL / NOTÍCIAS / EKOS BRASIL ENTREGA PLANO...
EKOS BRASIL ENTREGA PLANOS DE MANEJO ESPELEOLÓGICO DE 32 CAVERNAS DO VALE DO RIBEIRA

Na terça-feira, 30 de março de 2010, o Instituto Ekos Brasil entregou à Fundação Florestal os planos de manejo espeleológico referentes às cavernas dos Parques Estaduais Intervales e Turístico do Alto Ribeira (PETAR). A entrega dos outros planos de manejo espeleológico dos Parques Estaduais da Caverna do Diabo e do Rio do Turvo ocorreu no dia 05 de março, no núcleo do Parque Estadual Caverna do Diabo.

O Parque Villa Lobos foi o local escolhido para a cerimônia que contou com a participação do Secretário do Meio Ambiente Xico Graziano, de vários prefeitos e do diretor executivo da Fundação Florestal José Amaral Wagner Neto que, em sua fala, ressaltou a importância do trabalho do Ekos Brasil na qualidade da elaboração e na entrega dos resultados do projeto dentro do prazo.
 
A cerimônia decretou oficialmente a conclusão dos trabalhos desenvolvidos pelo Ekos Brasil e pela Fundação Florestal que duraram pouco mais de um ano com o envolvimento de cerca de 200 profissionais.
 
A realização dos Planos de Manejo Espeleológico para vinte cavernas do PETAR e para outras doze cavernas nos Parques Estaduais Intervales, da Caverna do Diabo e do Rio Turvo delimita um marco histórico sem precedentes no manejo de cavernas no Estado de São Paulo e no Brasil.
 
Foi um desafio para o Ekos Brasil realizar 32 estudos simultâneos sem abrir mão da qualidade e inovando em metodologia, técnica e tecnologia em diversos diagnósticos. Os resultados obtidos permitiram diversas conquistas, do ponto de vista científico – com a descoberta de novas espécies da fauna cavernícola, o fortalecimento dos estudos microclimáticos, a revalorização do meio físico, a descoberta de sítios arqueológicos –, técnico – com a consolidação de procedimentos consagrados e inovadores de manejo, alguns desenvolvidos especialmente para este projeto –, e social – com a participação ativa das comunidades locais e as novas possibilidades de atendimento às demandas diferenciadas de turistas interessados em conhecer o mundo subterrâneo.
 
Resta agora a implantação das regras construídas nos Planos. O trabalho que visa definir a forma mais adequada de uso de cada uma dessas cavernas, portanto, está apenas começando e novos desafios se desenham no horizonte do manejo deste rico e diverso patrimônio.
 
Que venham os novos passos e desafios, que permitam a continuidade do envolvimento das comunidades locais e da comunidade espeleológica, em conjunto com a gestão da Unidade de Conservação e da equipe técnica da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, por meio de seus diversos órgãos, em busca do engajamento no processo de manejo e conservação do patrimônio espeleológico brasileiro em território paulista.
 
Só assim será possível tornar a região dos vales do Ribeira e Alto Paranapanema num dos maiores destinos espeleoturísticos do mundo. É esse, sem dúvida, o maior objetivo do Instituto Ekos Brasil.

04/2010

< voltar às notícias