Busca
Português|English
HOME|Mapa do site|Versão Impressão
Foto: Araquém Alcântara
HOME
QUEM SOMOS
UNIDADES CONSERVAÇÃO
MUDANÇAS CLIMÁTICAS
ENERGIA RENOVÁVEL
REMEDIAÇÃO
INVESTIMENTOS IMPACTO
PROJETOS
NOTÍCIAS
FALE CONOSCO
TRABALHE CONOSCO
INSTITUTO EKOS BRASIL
Av. Dr. Chucri Zaidan, 1550, cj. 1208
04711-130 - São Paulo - SP
Tel +55 11 5505-6371
Tel +55 11 3589-1502
INSTITUTO EKOS BRASIL / NOTÍCIAS / NORUEGA RATIFICA CORTE DE...
Noruega ratifica corte de investimentos do fundo soberano no setor do carvão

Para o maior produtor de petróleo da Europa Ocidental, o carvão é sujo demais para receber investimentos. O Parlamento da Noruega ratificou nesta sexta-feira a decisão de retirar de seu fundo soberano, o maior do mundo, os investimentos em empresas relacionadas ao carvão - e isso acontece poucos meses antes da conferência de Paris sobre clima. A decisão foi motivada pelo impacto da atividade nas alterações climáticas, e o voto é parte de um movimento crescente para reduzir o uso de combustíveis fósseis. Tanto o governo quanto os partidos da oposição estavam por trás da iniciativa.

 
 

A decisão de retirar, que segue um compromisso acordado na Comissão de Finanças em 27 de maio, vai afetar entre 50 e 75 empresas internacionais, segundo o Ministério das Finanças da Noruega.

O fundo - também conhecido como fundo do petróleo, cujo objetivo é investir partes dos lucros gerados pela extração do petróleo - excluirá empresas que obtêm pelo menos 30% das suas receitas produzindo ou queimando o carvão. Este fundo tem um conselho de ética que rotineiramente exclui empresas por violação aos direitos humanos e preocupações ambientais.

“O carvão é de longe a maior fonte de gases de efeito estufa, por isso esta é uma grande vitória para o clima”, disse o membro do comitê Torstein Tvedt Solberg do Partido Trabalhista da oposição ao NY Times.

A iniciativa foi bem acolhida pelos ambientalistas que estimaram que a quantia do fundo destinado às explorações de carvão gira em torno de US$ 11 bilhões.

“Nós esperamos que milhares de milhões de euros sejam retirados da indústria do carvão, quando isso acontecer”, disse Truls Gulowsen do Greenpeace. “Esta é uma grande vitória para o movimento de desinvestimento e de um verdadeiro sinal de esperança de que os padrões de investimento podem ser alterados.”

 

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/sociedade/sustentabilidade/noruega-ratifica-corte-de-investimentos-do-fundo-soberano-no-setor-do-carvao-16356656#ixzz3qiQB2oPb 

 


06/2015

< voltar às notícias