Busca
Português|English
HOME|Mapa do site|Versão Impressão
Foto: Araquém Alcântara
HOME
QUEM SOMOS
UNIDADES CONSERVAÇÃO
MUDANÇAS CLIMÁTICAS
ENERGIA RENOVÁVEL
REMEDIAÇÃO
INVESTIMENTOS IMPACTO
PROJETOS
NOTÍCIAS
FALE CONOSCO
TRABALHE CONOSCO
INSTITUTO EKOS BRASIL
Av. Dr. Chucri Zaidan, 1550, cj. 1208
04711-130 - São Paulo - SP
Tel +55 11 5505-6371
Tel +55 11 3589-1502
INSTITUTO EKOS BRASIL / NOTÍCIAS / TERCEIRO PROJETO FLORESTA...
TERCEIRO PROJETO FLORESTAL É APROVADO PARA O MDL

O terceiro projeto de reflorestamento sob o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) do Protocolo de Quioto foi aprovado nesta semana pelas Nações Unidas. O Comitê Executivo do MDL registrou o Projeto Piloto sobre Terras Privadas Afetadas pela Mudança das Dunas de Areia, desenvolvido no Rajastão (Índia). Depois de três anos sem a aprovação de projetos florestais, este é o segundo a receber o aval da ONU em menos de um mês.
 
Além disso, este é também o primeiro projeto de pequena escala a ser registrado. Três espécies de árvores, acácia e eucalipto para madeira e outra espécie frutífera, serão plantadas em 370 hectares de terras agrícolas degradadas através de uma cooperativa com 227 fazendeiros locais e com o Departamento Florestal de Haryana.
 
O projeto deve gerar 380 mil Redução Certificadas de Emissão temporárias (tRCEs) ao longo de vinte anos.
 
O objetivo do projeto é estabilizar as dunas de areia, aumentar a qualidade do solo, melhorar a capacidade de absorção de água, seqüestrar carbono e gerar renda para as comunidades locais através dos créditos de carbono. O Departamento Florestal de Haryana vê este projeto como piloto para a eventual replicação em outras áreas com baixa produtividade.
 
Atualmente existem mais de 1500 projetos de MDL registrados, desde energias renováveis até destruição de gases industriais, que devem produzir cerca de 1,5 bilhões de RCEs até 2012. O setor de reflorestamento, contudo, tem sido freado pelas complexidades e por um sistema de creditação temporário, resultando em baixas taxas de evolução de tais projetos dentro do MDL.

Fonte: http://www.carbonobrasil.com/#noticias/noticia=721390

 

04/2009

< voltar às notícias