Busca
Português|English
HOME|Mapa do site|Versão Impressão
Foto: Araquém Alcântara
HOME
QUEM SOMOS
UNIDADES CONSERVAÇÃO
MUDANÇAS CLIMÁTICAS
ENERGIA RENOVÁVEL
REMEDIAÇÃO
INVESTIMENTOS IMPACTO
PROJETOS
NOTÍCIAS
FALE CONOSCO
TRABALHE CONOSCO
INSTITUTO EKOS BRASIL
Av. Dr. Chucri Zaidan, 1550, cj. 1208
04711-130 - São Paulo - SP
Tel +55 11 5505-6371
Tel +55 11 3589-1502
INSTITUTO EKOS BRASIL / NOTÍCIAS / US$ 140 BI NA REDUÇÃO DE ...
US$ 140 bi na redução de emissões

Treze das maiores empresas dos Estados Unidos se comprometeram publicamente a investir mais de US$ 140 bilhões em esforços para reduzir as emissões de carbono. O compromisso é parte do apoio dado ao esforço da administração do presidente Barack Obama de envolver o setor privado na agenda do clima, em preparação à conferência da ONU que vai tratar do assunto em Paris, em dezembro.

Além dos US$ 140 bilhões de investimento, as empresas prometem gerar mais de 1.600 megawatts em energia renovável. A iniciativa inclui metas individuais ambiciosas, que incluem baixar as emissões de carbono em até 50 por cento, reduzir o uso intensivo de água em 15%, adquirir energia 100% renovável e alcançar o desmatamento líquido zero em suas cadeias de abastecimento.

As 13 empresas que assinaram com o vice-presidente americano John Kerry o compromisso de redução de carbono são a Alcoa, Apple, Bank of America, Berkshire Hathaway Energy, Cargill, Coca-Cola, General Motors, Goldman Sachs, Google, Microsoft, Pepsi-Co, UPS e WalMart. Mais uma rodada de compromissos semelhantes deve acontecer nos próximos meses, incluindo outras grandes empresas. A ideia é mobilizar o empresariado americano no combate às mudanças climáticas e com isso influenciar toda a sociedade.

Os compromissos variam entre as empresas, mas todos trazem números concretos. A Alcoa, uma das maiores fabricantes mundiais de alumínio, comprometeu-se a reduzir suas emissões de carbono nos EUA em 50% até 2025, com base nos níveis de emissões em 2005. O Bank of America prometeu adicionar US$ 75 bilhões aos US$ 50 bilhões que já disponibiliza para apoiar negócios ambientalmente sustentáveis. A Coca-Cola vai reduzir em 25% a emissão de gases de efeito estufa, incluindo a sua cadeia de fornecedores. A General Motors assumiu o compromisso de reduzir a intensidade de carbono de suas instalações em 20% até 2020, com base nos níveis de emissão em 2010.

O esforço de mobilizar o capital privado é um dos elementos usados pelo governo de Barack Obama para levar adiante seu Plano de Ação Climática, que deve cortar cerca de 6 bilhões de toneladas de emissão de carbono até 2030, quando totalmente implementado. Isto é equivalente a retirar da estrada todos os carros dos Estados Unidos por mais de quatro anos.

O plano tem mobilizado governos locais, entidades privadas e empresas a intensificar seus esforços para aumentar a eficiência energética, o investimento na economia de baixo carbono e tornar a energia solar mais acessível aos americanos de baixa renda.

Carlos RIttl, secretário-executivo do Observatório do Clima, defende que quanto mais cedo as corporações fizerem a transição para a economia de carbono, mais benefícios terão. “Embora US$ 140 bilhões sejam uma cifra modesta perto dos subsídios dados aos combustíveis fósseis, o compromisso das empresas americanas é um sinal claro de que cortar emissões é uma questão estratégica para a competitividade neste século”, diz.

“O setor privado brasileiro precisa entender essa lógica, e parte dele já dá sinais de que entendeu”, afirma Rittl, citando o lançamento, em junho deste ano, da Coalizão Clima, Florestas e Agricultura, que une dezenas de empresas brasileiras e organizações da sociedade civil na mobilização para que o Brasil aja com mais ambição na mitigação das mudanças climáticas. (Observatório do Clima/ #Envolverde)

 

http://www.envolverde.com.br/1-1-canais/gigantes-americanas-comprometem-us-140-bi-na-reducao-de-emissoes/


07/2015

< voltar às notícias