Com uma área de 56.800 hectares, localizado na transição entre os ecossistemas do Cerrado e da Caatinga, o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu integra a Bacia Hidrográfica do Rio Peruaçu, afluente do São Francisco.

Compreende uma das regiões espeleológicas mais expressivas do Brasil devido à concentração de cavernas com galerias com mais de 100 metros de altura e largura, e à presença de inúmeros sítios arqueológicos e painéis de arte rupestre. O Ekos Brasil elaborou o Plano de Manejo do Parque e atualmente coordena a implantação da infraestrutura de uso público.

Objetivo: a implantação da infraestrutura de uso público do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, onde estão sendo feitas melhorias em trilhas e estradas, saneamento básico, edificações que facilitem a visitação bem como privilegie as belezas cênicas do parque.

Parceiros: o Plano de Manejo contou com mais de 50 especialistas, principalmente espeleólogos e arqueólogos, sendo classificados 120 sítios e topografadas 10 cavidades. A coordenação da elaboração do Plano de Manejo foi feita pelo Ekos Brasil em parceria com a Geoklock, em um trabalho pioneiro empreitado pelo ICMBio e com recursos de compensação ambiental da FIAT automóveis.

Biodiversidade:

  • 39 espécies de fauna consideradas ameaçadas de extinção
  • 1072 espécies vegetais
  • 56 espécies de mamíferos
  • 332 espécies de aves (6 espécies endêmicas),
  • 25 espécies de anfíbios,
  • 16 espécies de serpentes,
  • 62 espécies de peixes autóctones (30 endêmicas),
  • 99 espécies de borboletas, 113 de abelhas,
  • 586 espécies de invertebrados de cavernas (275 em uma única caverna, 9 troglomórficas, que vivem exclusivamente dentro das cavernas).
  • 120 sítios arqueológicos

Sistema Cárstico

  • Mais de 150 cavernas catalogadas;
  • Levantamento topográfico e descrição de novos espelotemas;
  • de expressão singular;
  • Roteiros estabelecidos para paredões de pinturas rupestres;
  • Mais de 40 sítios arqueológicos mapeados.