Página do projeto:

A destruição das florestas corresponde a cerca de 30% das emissões brasileiras de gases de efeito estufa causadores das mudanças do clima. Por outro lado, a floresta tropical ainda existente estoca 1.000 bilhões de toneladas de CO2, aproximadamente o dobro daquilo que já se encontra na atmosfera. A precificação do carbono estocado na floresta de pé é uma possibilidade de financiar sua preservação.

Assim nasceu o Projeto Jufari, no qual o Ekos Brasil implantou a Base de Pesquisas do Jufari numa importante área no médio Rio Negro, representativa do ecossistema amazônico.

Objetivo: conservar a biodiversidade do bioma Amazônico e preservar o estoque de carbono, ao mesmo tempo em que promove a dignidade e a autonomia econômica da população local.

• Atividades: estabelecimento de uma Base de Pesquisas do Jufari, para gerar informações e dados científicos. Suas principais áreas de pesquisa são: estoque de carbono na floresta tropical; biodiversidade; e desenvolvimento comunitário sustentável.

• Parceiros: os principais parceiros foram o Museu de Zoologia da USP, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) e o Instituto Federal Suíço de Tecnologia Zurique.

Resultados:

  • Estoque de 197 tC/ha. Análise com base em 40 avaliações de crescimento da biomassa.
  • 500 pessoas através de 14 comunidades que vivem em harmonia com a floresta;
  • Três tipos de rios amazônicos Negro, Branco, Xixuaú com um nível de pH mais elevado e conteúdo mineral dissolvido criando um ambiente para milhares de peixes e outras espécies aquáticas;
  • Mais de 450 espécies identificadas de aves de um total de 650 espécies amazônicas conhecidas, incluindo a magnífica águia Harpia, um importante indicador do bom estado da conservação da região;
  • Um centro de difusão de espécies de abelhas sem ferrão da Amazônia;