A Responsabilidade Socioambiental contribui com a performance financeira de uma empresa?

 

A London Business School realizou no primeiro semestre desse ano um simpósio para discutir, dentre outros assuntos, a Responsabilidade Socioambiental Empresarial. Como convidado, estava o professor de Estratégia e Empreendedorismo Ioannis Ioannou, que palestrou sobre o crescimento de empresas mais responsáveis com a sociedade e com o meio ambiente.

 

A questão central era: a Responsabilidade Socioambiental contribui com a performance financeira de uma empresa?

Para Ioannou é certo que as empresas vêm sofrendo cada dia mais pressão para se tornarem mais responsáveis social e ambientalmente, com seus fornecedores e éticos nos negócios.

Esse crescimento, explica o professor, acompanha o crescimento das empresas, afinal, grandes poderes acometem grandes responsabilidades.

E alguns dados apresentados por ele chegam até a assustar. Vejam só.

-> De acordo com o estudo 2016 Global Justice, apenas 31 países figuram na lista dos 100 maiores detentores econômicos do mundo. Os outros 69 são empresas.

-> As 10 maiores empresas so mundo geram mais receita do que os 180 países mais pobres juntos.

 

Teriam então, as empresas, um dever até mesmo maior do que os governos de serem mais responsáveis com a sociedade e com o meio ambiente?

O professor responde com uma pergunta. Imagine o impacto que uma empresa como a Unilever pode deixar se focar sua estratégia em sustentabilidade, levando em consideração que seus produtos e serviços atingem cerca de dois bilhões de pessoas no mundo DIARIAMENTE?

Com incentivos, iniciativas e pessoas certas nos lugares certos, o legado corporativo pode ser gigante.

Para Ioannis, a Responsabilidade Socioambiental Empresarial tem se tornado uma estratégia em constante crescimento e direcionado como as empresas operam se organizam e desenvolvem seus modelos de negócio.

O centro da argumentação de Ioannis foi mostrar como a Responsabilidade Socioambiental está diretamente ligada a performance financeira da empresa.

Para isso, trouxe dados de suas mais recentes pesquisas.

A primeira constatação é que existe sim um link positivo entre a responsabilidade socioambiental e a performance financeira, seja em curto ou longo prazo, e os dados já comprovaram isso.

Ioannis explica que nunca os investidores foram tão positivos quanto à responsabilidade socioambiental quanto agora.

No início dos anos 90, alguns especialistas acreditavam que os investimentos financeiros eram indiferentes àquilo que as companhias faziam no campo da responsabilidade ambiental. Os dados hoje mostram que isso não é mais verdade.

Atualmente, estudos como esses conduzidos pelo professor Ioannis mostram que empresas socialmente responsáveis enfrentam menos restrições de capital, simplesmente porque são mais transparentes e têm relacionamentos mais estáveis com seus fornecedores.

Está claro que a responsabilidade socioambiental beneficia as empresas, mas como eles emplacam essa cultura em seus DNAs?

Ioannis traz quatro pontos que caracterizam as empresas responsáveis nas áreas ambientais e sociais.

1. Empresas com Responsabilidade Socioambiental Empresarial são caracterizadas por mecanismos de governança distintos, refletindo os interesses conjuntos de todos os seus stakeholders. Essas empresas envolvem mais o conselho em questões de RSE e vinculam a remuneração de executivos a objetivos ambientais e sociais (além dos objetivos financeiros).

2. Essas empresas têm mais compreensão das necessidades de seus stakeholders e investem tempo na gestão desses relacionamentos. Elas relatam interna e externamente a qualidade dessas parcerias, tornando-as mais proativas, transparentes e responsáveis quando se envolvem com as partes interessadas.

3. São comunicadoras eficazes. Elas falam sobre longo prazo e convencem investidores de longo prazo a investir em suas ações.

4. Possuem maior probabilidade de medir informações relacionadas aos principais interessados, como funcionários, clientes e fornecedores, e aumentam a credibilidade dessas métricas usando procedimentos de auditoria. Elas medem e divulgam dados não financeiros com maior qualidade.


Ioannis conclui incentivando as empresas a adotar essas práticas em suas estratégias: “quem faz isso pode alcançar mais lucro enquanto causa impacto positivo na sociedade.”

E você, acredita que a sua empresa possui esses princípios ou está em busca deles? E ainda, você percebe essa ligação direta entre o impacto social e ambiental com a performance financeira?