Aplicativo brasileiro idealizado para catadores de recicláveis ganha prêmio em Paris

O Cataki, aplicativo brasileiro desenvolvido para conectar catadores de recicláveis com cidadãos e empresas interessados em descartar materiais desse tipo de forma adequada ganhou, nesta semana em Paris, o prêmio de inovação Netexplo após concorrer com outras 2 mil iniciativas de todo o mundo.

Por trás dessa ideia está o já conhecido Mundano, artista independente e ativista que há alguns anos deu início ao projeto Pimp my Carroça, realizando intervenções artísticas nas carroças dos catadores para que eles se tornassem mais visíveis para a sociedade.

Com todo esse contato com catadores, Mundano acabou virando uma espécie de secretario deles, ao indicá-los para diversas pessoas que vinham perguntá-lo sobre como entrar em contato com catadores. Dessa demanda, surgiu o Cataki.

Estima-se que os catadores são responsáveis por quase 90% de todo o lixo reciclado no País e são completamente negligenciados pelo governo, apesar do importante papel que desempenham enquanto agentes ambientais.

Complementando o Pimp my Carroça, o Cataki foi desenvolvido com a colaboração de diversos voluntários e é bem fácil de utilizar.

Os catadores são previamente cadastrados no app, com nome, região em que atuam e telefone. Os interessados em reciclar, acessam o app, buscam pelo catador mais próximo e ligam para combinar dia e horário da retirada dos materiais.

"Lutamos pelo reconhecimento dos catadores, que são verdadeiros agentes ambientais. O app é uma forma alternativa de aumentar a renda dos catadores com um benefício ambiental sem preço", destacou Mundado ao receber o prêmio em Paris.

Com pouco mais de seis meses ativo, o app já possui mais de 300 catadores registrados em mais de 30 cidades brasileiras, com destaque para São Paulo e Recife.

Para driblar a exclusão digital que ainda acomete os catadores, o aplicativo propõe esse contato mais real, que acabar por promover uma comunicação interessante entre diferentes classes sociais e também entre os próprios catadores que recomendam trabalhos a outros quando não podem realizar.

O Instituto Ekos Brasil parabeniza a todos os envolvidos nessa iniciativa! #Tamojunto!

 

* Com informações da DW Brasil.