Ecomudança 2017: agricultores de Santa Catarina substituirão adubação química por biofertilizantes

 

O projeto Ecomudança 2017, uma parceria entre o Itaú e o Instituto Ekos Brasil, contemplou 9 projetos nessa edição.

Em uma série que começa hoje você poderá conhecer melhor cada um dos vencedores!

 

#01 Projeto de Biofertilizantes para Agroecologia em Chapecó – SC

No oeste catarinense, os produtores associados de Chapecó, em sua maioria, acabam seguindo o modelo de produção convencional das grandes empresas de alimentos utilizando adubação química em suas lavouras.

Com o investimento do Projeto Ecomudança, esta realidade vai mudar para muito melhor!

A ideia ali é unir os agricultores da APACO para produzir biofertilizantes a partir de resíduos gerados em suas propriedades para produção de alimentos agroecológicos .

Os biofertilizantes são subprodutos do processo de fermentação anaeróbica de resíduos provenientes das produções agrícolas e dejetos de animais. É um composto rico em nutrientes e utilizado na adubação dos solos.

Com esse reaproveitamento ecológico, estima-se que o projeto aumente em 50% a produção de 40 famílias de agricultores familiares e consequentemente em 30% a renda dessas pessoas.

Além disso, o meio ambiente também ganha com 64 tCO2e deixando de ser emitidas para a atmosfera.

As etapas previstas para a execução desse projeto são: identificação do potencial de produção de biofertilizantes em cada propriedade, planejamento da produção, implementação da tecnologia e acompanhamento do projeto, com um investimento previsto de R$ 60.000.

Agora é só colocar a mão na massa, ou melhor, nos biofertilizantes!